logo_grupo_interclinicas.png

Atendimento 24 horas

(11) 3421-6352

caneta.jpg
Casa de Reabilitação de Alcoolismo em Araçatuba SP: Grupo Inter Clinicas.
 

Alcoolismo e Habilidades Sociais.

 

As primeiras perguntas que os pais devem fazer a si mesmos:

 

Meu filho ou meu ente querido vai se tratar se ele quiser ou não aceitaremos ficar olhando ele se destruir?


Devemos esperar até que um dia ele queira mudar, ou o ajudamos a querer mudar hoje?


É opcional fazer tratamento, ou ele vai fazer queira ou não queira?


Nossos familiares que estão envolvidos com drogas, muitas vezes não conseguem pensar sobre o que é melhor para suas vidas e precisam da nossa ajuda por mais que digam que não querem ou que vão resolver o problema sozinhos.


Os jovens estão cada vez mais contaminados pelos comportamentos desta nova geração.


Ostentação, sexualidade ao extremo, topando tudo que veem pela frente. Acreditam que tudo na vida foi feito para experimentarmos.
Pensam que tudo está sob controle. Que param quando querem.


São pressionados pelo grupo, pelas amizades inadequadas e más companhias e acabam aceitando fazer experimentos sem pensar nas consequências.


Falar para um jovem que fumar maconha não é uma boa idéia, pode não fazer nenhum sentido para ele. Eles pensam que estamos fazendo tempestade em copo d’água, que estamos exagerando.


Nosso trabalho e fazer com que eles entendam que precisam mudar seus comportamentos.


Não aceitamos que continuem bebendo ou usando outras drogas.


Fazemos isto porque o amamos e ele não direito de cobrar de nós que somos a família ficar assistindo ele destruir sua vida de braços cruzados.


Jovens costumam não entender porque não queremos que bebam ou usem drogas.


Homens que bebem há muitos anos não sabem mais como é viver e se divertir sem ficarem alcoolizados.


Isto porque a grande maioria deles ainda não teve sofrimento ou perda. Nós sabemos que o que vem pela frente não é bom.


Eles subestimam os riscos e vêem os hábitos que cultivam simplesmente como uma forma de se divertirem.


Não precisamos esperar que haja perda ou sofrimento para fazermos algo. Eu entro como uma autoridade que a família me concede. E eles se vêem em uma situação em que por livre e espontânea pressão de todos precisam fazer diferente e melhorarem seus comportamentos.


Quantas vezes vemos nossos familiares fazendo as mesmas coisas há muitos anos, prometendo que vão mudar, repetindo os mesmos erros.
Até quando vamos esperar?