logo_grupo_interclinicas.png

Atendimento 24 horas

(11) 3421-6352

idoso.jpg
Internação involuntária como proceder:
 
Se você tem algum parente que está perdido no uso de substâncias químicas, provavelmente já se perguntou como proceder e se a internação involuntária poderia ser a solução. Antes de mais nada, saiba que é muito comum ter receio de abordar um usuário de drogas, mesmo que seja um parente. O uso de drogas pode mudar muito a personalidade de uma pessoa, de forma que muitas pessoas ficam receosas de invocar o assunto devido à incerteza da forma com que a pessoa reagirá.
 
Antes de mais nada, é preciso entender que a melhor forma de ajudar uma pessoa que sofre com o vício é tentar superar esse medo e conversar de forma franca com ela, sem pressões ou julgamento, escolhendo a melhor hora possível para isso, por exemplo, um dia após o uso ele estará num estado depressivo, por consequência do uso, esse momento será propicio para tal abordagem, já por outro lado, evite, dias em que é perceptível que ele está sob o efeito das drogas ou querendo usar, neste momento ele se encontra mais fechado e agressivo. Com compreensão e empatia, é bem possível que você consiga convencê-lo a deixar que o ajude a começar o caminho para a recuperação e um tratamento voluntario.
 
Se essa pessoa se mostrar receptiva à sua preocupação, pergunte se ela estaria disposta a buscar ajuda profissional, explique que você não irá julgar e que sua intenção e ajudar. Mas saiba de antemão que pode ser que ela não esteja aberta a discutir essa opção e podem entrar na defensiva assim que o assunto for abordado e acredite esse comportamento é normal, pois você está tentando fazer com que ele deixe uma coisa que tem sido nesse momento a fuga para seus problemas e inabilidades, ou seja você está tirando o que nesse momento lhe dá mais prazer. Se for esse o caso, esqueça o assunto por ora. Jamais ameace ou tente passar algum sermão isso piora a situação. Se você já tentou algumas vezes, mas não teve sucesso, ou se essa pessoa passa a sofrer perigo de vida ou oferecer perigo aos outros, é hora de conversar com os demais familiares para considerar uma internação involuntária.
 
Antes de tudo, você deve saber mais sobre o assunto. Leia sobre como é o vício ou dependência, como o vicio progredi para uma dependência (aqui na página temos um blog que explica a diferençae só clicar em vicio e dependência), e como a droga age no organismo. Isso ajuda e muito no momento de conversar e interagir com essa pessoa, e em especial a não se abalar se ela decidir se voltar contra você. Lembre-se que estar bem é a melhor forma de ajudar quem precisa. Além disso, entre em contato com profissionais da área para obter conselhos sobre como lidar com a situação, AQUI TEMOS TERAPÊUTAS E PISICOLOGOS A DISPOSIÇÃO 24H. Visite centros de reabilitação, veja o que funciona para você. Saiba que, havendo a autorização da família e de um médico, você pode solicitar a internação involuntária.
 
Um bom centro de reabilitação consegue te oferecer todo o suporte necessário nessa fase anterior à internação. Além disso, possui equipes especializadas que buscam o viciado onde quer que ele esteja, e o encaminham para a unidade de tratamento da forma mais sutil possível. Normalmente, isso ocorre em veículos não identificados, por meio de funcionários também não paramentados. Todo o procedimento é feito com segurança e discrição.
 
Após o período de desintoxicação, o centro irá trabalhar no paciente a vontade própria de permanecer no local. Esse é o ponto mais delicado do tratamento, pois, se ele não se envolver com a recuperação, assim que ele sair dali, voltará para o vício. Portanto, esteja sempre envolvido com esse processo. Enviar alguém para a internação involuntária não faz com que suas obrigações acabem ali o tratamento se estende aos familiares ligado diretamente ao paciente, como: pais, esposa, filhos e irmãos. Visite-o e envie lembranças sempre que possível. Você pode até ser visto com maus olhos no início, mas, no final, tudo isso recompensará.